about me.

fuck_u_by_france_wance

Esse texto eu postei faz uns meses no fotolog…

Eu sou uma das pessoas mais estranhas que eu conheço. E confesso que não é por mal que eu sou assim. Eu tenho uma carência súbita por pessoas, mas ao mesmo tempo eu simplesmente necessito da solidão. Vai entender.
Eu tenho uma personalidade que, que eu daria um pedaço de todos os meus BIG MAC’s pra alguém conseguir entender e me explicar algumas coisas, que por enquanto ainda são indecifráveis pra mim. Embora ainda assim, com uma ‘personalidade diferenciada’ (ou não, pra alguns), eu mudo de opinião até que com facilidade. Não sei se este conceito se aplica em mudar de opinião, ou se é de personalidade mesmo, tipo uma coisa meio bi-polar. Eu hein.
Eu posso simplesmente falar que eu amo a cor azul, e daqui a minutos, falar que não gosto mais, que eu prefiro a cor preta. Tá, pode não ser um melhor exemplo a ser dado, mais é nesse ‘estilo’ que seguem as alterações. Na verdade, eu mudo de opinião de acordo com o que faz bem pra mim, se neste minuto a cor azul me traz paz, me deixa bem, eu vou dar minha preferência pra ela. Se ela já não me traz mais coisas boas, agora a cor preta que me deixa num estado de espírito fascinante, pode ter certeza, já era o azul. Isso serve para pessoas também.
Não sei se eu tô conseguindo ser clara. Sou boa em exemplos, mas às vezes me perco. (oi?)
Confesso, que com essa mudança de opinião e/ou personalidade, eu me irrito sabe. Por que, se eu não me entendo, se eu não sei o que eu quero, onde eu quero chegar, fica difícil qualquer outra pessoa me ajudar.
Logo, faltam coisas.
O que mais me irrita nisso tudo, é quando se trata de assuntos sentimentais.
Sabe-se lá Deus (ele deve tá de saco cheio dessa conversa), quantas e quantas vezes eu já falei, escrevi, discuti, gritei, pensei, enlouqueci sobre este assunto.
Sério, eu procuro uma explicação a tanto tempo por tudo que acontece (ou não) nesse meu coração.
Como diz minha amiga: Anne você tem um tijolo bahiano ai dentro.
Mas não é isso. Tá vendo, esse é o problema, as pessoas acham que o fato ‘de que eu não demonstre, quer dizer que eu não sinta’.
E eu até sinto, talvez nunca tenha sentido com tanta intensidade, mas nas raras vezes que eu senti, eu não consegui demonstrar, dizer. Talvez por que seja uma coisa nova pra mim, e tudo que é novo dá medo. Só que do outro lado, existe uma outra pessoa, que nem sempre entende e não tenta ao menos, compreender o que se passa.

Resumindo, eu quero que todo mundo vá tomar no cu.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s